Português completa um ano no Flamengo com mais títulos que derrotas

Contratado para substituir Abel Braga no clube carioca, o treinador português conquistou cinco títulos nos 12 primeiros meses no comando da equipe.

LEIA TAMBÉM: Nacional é o primeiro clube de Portugal a retomar treinamentos

LEIA TAMBÉM: Cristiano Ronaldo faz alerta sobre gravidade da pandemia

LEIA TAMBÉM: Retorno do futebol em Portugal em risco, após confirmação de jogadores com covid-19

Técnico português conquistou 5 títulos com o time carioca durante seu período no Rio. ( Foto: CWB)

Em 1º de junho de 2019, o Flamengo foi ao Engenhão, onde derrotou o Fortaleza por 2 a 0, sob o comando do interino Marcelo Salles. Mas a mais importante notícia para o clube e seu torcedor naquele dia viera horas antes e de um lugar bem mais distante. De Madri, onde acompanharia a decisão da Liga dos Campeões da Europa, o presidente Rodolfo Landim anunciou a contratação do técnico Jorge Jesus.

A chegada do treinador português revolucionou o Flamengo. O time, sob o comando do português, conquistou cinco títulos desde então, incluindo os do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores, ambos em 2019, e construiu uma aura de praticamente imbatível, se recolocando na trilha das conquistas.

Contratado para substituir Abel Braga, Jesus foi campeão, além da Libertadores e do Brasileirão em 2019, da Recopa Sul-Americana, da Supercopa do Brasil e da Taça Guanabara, neste ano, antes da paralisação das competições por causa da pandemia do coronavírus.

São, assim, mais conquistas do que derrotas – 4. Com Jesus, o Flamengo sofreu seu primeiro revés para o Emelec, no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores – o time conseguiu passar de fase nos pênaltis, no confronto de volta. Depois, caiu para o Bahia, na 13ª rodada do Brasileirão, e para o Santos, na última, quando já era o campeão nacional. Já a última vez que deixou o campo batido foi para o Liverpool, na decisão do Mundial de Clubes de 2019.

Em um total de 51 jogos, o Flamengo de Jesus tem 38 vitórias e 9 derrotas, além das quatro derrotas, com aproveitamento de 80,39%. Além disso, marcou 118 gols e sofreu apenas 45.

A média de 2,31 gols feitos por jogo confirma a principal característica do time sob o comando do treinador: a ofensividade, algo que rendeu títulos, lotou estádios e fez brilhar a dupla de ataque composta por Gabriel e Bruno Henrique. Mas a equipe também conseguiu ser segura defensivamente, com o goleiro Diego Alves tendo pouco trabalho. E recuperando o futebol de jogadores que sofriam contestação do torcedor flamenguista antes da sua chegada, especialmente o volante Willian Arão.

Mas embora seja o desejo de todos no clube e da torcida flamenguista, a permanência de Jesus ainda é incerta. O contrato com o treinador se encerrará em 20 de junho, com o português já tendo feito vários elogios ao clubes e aos seus gestores. Mas as negociações ainda não avançaram como se imaginava.

O risco de perder o português em função do interesse de alguma equipe europeia parece improvável, especialmente por causa da pandemia do coronavírus. Mas outros fatores provocam o impasse, sendo um deles a desvalorização do real. Também há desacerto sobre o tempo de contrato – o Flamengo gostaria de renovar com Jesus até o fim de 2021, mas o interesse do treinador é por um vínculo menor, de um ano, coincidindo com o término da próxima temporada europeia. Ainda assim, há o otimismo da diretoria na permanência do treinador.

Após passar cerca de 40 dias em quarentena em Portugal, em função da pandemia do coronavírus, Jesus está no Rio desde o início de maio e vem comandando as atividades do elenco no Ninho do Urubu, embora ainda não esteja definido quando as competições serão retomadas. Também não é certo quando e se o seu vínculo será renovado. E essa é a grande expectativa dos flamenguistas no dia em que se completa um ano do treinador que iniciou nova era vitoriosa no clube.

os mais lidos660 times!

COMPARTILHAR