Conheça os brasileiros que produzem (grandes) vinhos em Portugal

Na sétima edição do Vinhos de Portugal, que será realizada em plataforma digital de 23 a 25 de outubro em plataforma digital, três vinícolas são comandadas por produtores brasileiros.

LEIA TAMBÉM: Fafá de Belém visita vinícola em Portugal e se diverte pisando em uvas

LEIA TAMBÉM: Portugal reinventa turismo para recuperar economia local no pós-pandemia

LEIA TAMBÉM: Portugal vai inaugurar a maior ponte suspensa para pedestres do mundo

André Manz descobriu em sua propriedade uma casta em extinção, a Jampal. Além dos vinhos, esse ex-professor de ginástica trabalha na recuperação histórica de Cheleiros, vila de 700 anos que fica a meia hora de Lisboa. (Foto: CWB)

Visitar Portugal e degustar uma boa taça de vinho é quase que uma unanimidade entre os planos de quem escolhe as terras lusas como roteiro de férias ou para morar. Os aromas e sabores dos rótulos portugueses associados ao clima ameno têm cada vez mais arrebatado apreciadores da bebida, principalmente os brasileiros. A paixão é tamanha que o número de produtores de vinhos de nacionalidade brasileira tem chamado a atenção.

Nesta sexta-feira ( 23/10) começará a sétima edição do festival Vinhos de Portugal, evento organizado pelos jornais brasileiros O Globo, Valor Econônimo e pelo português Público. O renomado evento conta com a participação de três vinícolas comandadas por brasileiros. A debutante no evento Quinta Alta, de Fernanda Zuccaro; também estreante ManzWine, de André Manz, e pela segunda vez a Kelman Wines, de Juliana Kelman. Os rótulos estarão na Salão de Degustação.

Depois de viajar o mundo, por sete anos, na companhia do marido conhecendo vinículas, aprendendo a selecionar uvas e degustando vinhos, a historiadora Fernanda Zuccaro escolheu Portugal, mais precisamente a região do Douro, para fixar raiz e realizar o sonho de montar sua própria vinícula.

Fernanda Zuccaro se instalou no Douro depois de sete anos de busca por um lugar. Ela estuda Enologia. (Foto: CWB)

A Quinta Alta fica na cidade de Peso da Régua e lançou o rótulo em novembro passado, os Qalt tinto, branco e rosé. O enólogo Francisco Montenegro é responsável por desenvolver os blends.

— Quando conheci o Douro decidi que seria a minha casa. Estudo Enologia e Viticultura para me aprofundar mais. Eu posso dizer que vivo no Douro o ano todo, faço questão de acompanhar desde o ciclo da videira, a poda, adubação, ver o botão abrir, os bagos surgirem. — descreve Fernanda.

Brincadeira que deu certo

Formado em Educação Física, em São Paulo, André Manz chegou a trabalhar em Portugal com eventos esportivos. Entretanto, decidiu comprar um vinhedo próximo de Lisboa para ter uma produção de consumo próprioi. Passou a trabalhar a uva Jampal e investir seriamente na produção, que atualmente faz parte da lista dos 50 melhores vinhos portugueses.

Vinhos de Portugal: André Manz descobriu em sua propriedade uma casta em extinção, a Jampal. Além dos vinhos, esse ex-professor de ginástica trabalha na recuperação histórica de Cheleiros, vila de 700 anos que fica a meia hora de Lisboa. (Foto: CWB)

A ManzWine está também nas regiões do Douro e da Península de Setúbal e exporta para 26 países, incluindo Brasil.

Juliana Kelman foi atrás de laços familiares no Minho e, hoje, produz vinhos em sua quinta no Dão. (Foto: CWB)

Já Juliana Kelman veio às terras lusas para encontrar a raiz familiar. Como muitos turistas, apaixonou-se pelo vinho do país e comprou uma quinta no Dão.Ela consegue dividir a vida entre as duas terras: Brasil e Portugal. Estando na Terrinha somente nos períodos da colheita das uvas e vindimas.

Vinhos de Portugal

De formal totalmente virtual, a 7ª edição do evento Vinhos de Portugal, ocorre entre os dias de 23 a 25 de outubro. Os produtores farão lives no salão. O conteúdo ficará gravado para quem quiser assistir depois.

Vinho, o melhor de Portugal !!

os mais lidos1055 times!

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.