Marcello Antony fala da carreira e da vida em Portugal com a mulher e os cinco filhos

Marcello Antony vive há dois anos e meio em Portugal, mas nem por isso o público português e brasileiro deixou de vê-lo nas novelas.

LEIA TAMBÉM: Portugal reinventa turismo para recuperar economia local no pós-pandemia

LEIA TAMBÉM: Fafá de Belém visita vinícola em Portugal e se diverte pisando em uvas

LEIA TAMBÉM: Longe das novelas desde 2016, Ana Rosa explica mudança para Portugal

Marcello Antony com a mulher, Carolina, e os filhos (Foto: Arquivo pessoal)

Atualmente, ele está no ar nas reprises de “Malhação” (Globo), “Mulheres apaixonadas” (Viva) e “Torre de Babel” (Globoplay). Com 24 anos de carreira na teledramaturgia, o ator olha para trás com satisfação:

Realizei mais do que esperava na minha vida. Nunca imaginei ser ator nem estrear na Globo, no filé mignon, no top do top. Se me pedissem para escrever esse roteiro da estreia, não conseguiria fazer melhor do que aconteceu – diz o ator, de 55 anos, cujo primeiro trabalho foi em “O rei do gado”, de Benedito Ruy Barbosa, com direção de Luiz Fernando Carvalho.

Antony avalia que as cenas em “Malhação” foram muito marcantes em sua trajetória, especialmente aquelas em que seu personagem, Edgar, fica bêbado e envergonha a filha Lica (Manoela Aliperti):

Foi um mergulho num universo bem diferente de novela. É um outro ritmo de produção, com muitos atores jovens e talentosos. Você passa a ser o veterano. Os papéis se invertem. E eu tinha uma leveza nesse trabalho, não tem pressão fazer ‘Malhação’. Era gostoso. As sequências dele bêbado foram as únicas fora da curva do personagem. Era quando ele mostrava outra personalidade. Senti um frescor nesse sentido. Entrei numa outra persona do personagem e já tinha todas as ferramentas para aquilo. Foi como se fluisse de uma maneira bem madura.

Antony também guarda ótimas lembranças de “Mulheres apaixonadas” e “Torre de Babel”. Ele afirma que gosta de rever suas antigas atuações:

Aprendi a gostar. Aprendi a entender que é um ser humano ali. Todo ser tem uma evolução na vida. Não sou o mesmo ator do primeiro, nem do segundo, nem do sétimo trabalho. Gosto de ver até os erros, a minha imaturidade em cena. Poderia ter feito melhor? Poderia. Mas era aquilo o que eu tinha na época. Então, eu gosto de ver, mas não procuro isso.

Marcello Antony em Cascais, em Portugal (Foto: Lucas Villar)

O ator se mudou para Portugal para participar da novela “Valor da vida”, da TVI. Foi acompanhado da mulher, Carolina, com quem está casado há dez anos, e dos cinco filhos: Francisco, de 17, e Stephanie, de 20, do casamento com Mônica Torres; Lorenzo, de 9, do relacionamento com Carolina, e Lucas, de 20, e Louis, de 15, os enteados. Lucas, inclusive, produziu a foto que ilustra esta reportagem.

Stephanie está fazendo faculdade de Cinema, e Francisco, de Artes. Lucas e Louis estão entrando na área de hotelaria e turismo – explica o ator, que comenta a rotina atribulada com a família. – Eu poderia falar muita coisa. Mas sabe o que basicamente move isso tudo? O amor. Sempre. Tem bastante trabalho, bastante coisa. A gente se esgota, se esgoela. Mas a família faz parte do meu equilíbrio.

Ao fim do projeto, a decisão comum foi permanecer na Europa:

O termômetro são meus filhos. Eu ia ficar aqui por oito meses e optei por trazer todos. Matriculei na escola e, depois do ano letivo completo, perguntei para todo mundo: ‘Vamos continuar ou voltar?’. Todos eles quiseram ficar. Se quiserem voltar, a gente volta. Mas eles têm mais oportunidades aqui.

Antony se diz adaptado à vida por lá.

Morei um ano em Lisboa e estou há um ano e meio em Cascais. A gente vai sempre a Lisboa, é como se fosse o trajeto entre Recreio e Lagoa (bairros das zonas Oeste e Sul do Rio de Janeiro). Eu estava andando lá e senti como se estivesse na Uruguaiana (rua famosa do Centro do Rio). No sentido de que já estou com um olhar local, de morador, não com a visão de um turista – analisa ele, que fala do Brasil com saudosismo. – Tenho muita saudade. Mas posso te dizer que sinto saudade de um Brasil que não existe mais.

Português vs Brasileiro. A guerra das palavras e expressões !!!

os mais lidos3535 times!

COMPARTILHAR