Brasileiros presos em Lisboa envolvidos com esquema de falsificação de passaporte

Dupla é suspeita de integrar organização criminosa especializada em fraude de processos de cidadania europeia. Cada documento falsificado tinha custa de 10 mil euros.

LEIA TAMBÉM: Brasileiros já podem viajar para Portugal?

LEIA TAMBÉM: Cidadania Portuguesa: saiba quem tem direito, como solicitar e quanto custa?

LEIA TAMBÉM: Portugal vai punir passageiros que se negarem a fazer teste

Documentos e passaportes apreendidos. (Reprodução/PF)

Dois brasileiros foram presos por autoridades portuguesas, em Lisboa, sob suspeita de integrar uma organização criminosa especializada em falsificação de documentos para processos de cidadania portuguesa e tráfico de pessoas. Cada documento falsificado pela quadrilha era vendido por 10 mil euros (aproximadamente 65 mil reais).

A operação batizada “Fewas” é resultado de uma investigação de dois anos. De acordo com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras ( SEF), que coordenou a ação, os criminosos formavam uma complexa rede internacional que recorria à darkweb para vender diversos tipos documentos de identificação, incluindo passaportes portugueses, de outro países europeus, e também dos EUA.

A prisão da dupla brasileira ocorreu no último dia 28 de setembro e contou com apoio da Polícia Federal do Brasil. No escritório, onde ocorreu a prisão, os policiais encontraram diversos documentos falsos, tais como passaportes, cartas de condução, títulos de residência, cartões de cidadão, cartões de crédito e débito.

Os policiais apreenderam ainda computadores, impressoras de alta qualidade, incluindo impressoras 3D, bem como elementos de segurança utilizados na fabricação dos documentos.

Na avaliação da especialista em imigração, a advogada Catarina Zuccaro, do Acesso Europa, o SEF tem reforçado cada vez mais o controle das fronteiras de Portugal e a verificação dos documentos de cidadãos estrangeiros que pedem para fixar residência no país.

“Portugal acaba de prorrogar, através de despacho, as regras para viajar para o país. Em virtude da pandemia, o controle de entrada de imigrantes segue rigoroso até 14 de outubro. Brasileiros, por exemplo, só conseguem embarcar com vistos para justificar viagens essenciais, que são as de trabalho, reunião familiar e estudos, ou com a devida autorização de residência”, detalhou a advogada.

A especialista ressalta a importância de buscar orientação de profissionais idôneos na hora de fazer processos de cidadania e de obtenção de vistos.

“Um profissional consegue fazer o enquadramento correto para o tipo de visto adequado e quais documentos são necessários para tal. E no caso da cidadania, auxiliar, inclusive, na busca por documentos para comprovar parentesco com o cidadão português e cumprir as exigências previstas na lei”, comenta a advogada Catarina.

Conheça o Vale do Douro, casa dos maiores vinhos de Portugal !!!

os mais lidos744 times!

COMPARTILHAR