O exemplo que o presidente de Portugal dá a Jair Bolsonaro

Não é só Bolsonaro, naturalmente, que alimenta neste mundo o falso dilema, “O bolso ou a vida” em relação à Covid-19. Mas muitas pessoas tem questionado as ações de combate ao vírus, usando a economia com argumento de troca.

LEIA TAMBÉM: “Um país melhor preparado”. Imprensa francesa elogia forma como Portugal está lidando com a pandemia

LEIA TAMBÉM: Medidas extraordinárias não reduzem contaminação de idosos por coronavírus em Portugal

LEIA TAMBÉM: Cidade de Ovar, em Portugal, decreta estado de calamidade

Marcelo Rebelo de Sousa e Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, reuniram em janeiro de 2019 no Palácio do Planalto, em Brasília. (Foto-CWB)

Em Portugal, que já registrou 246 mortes e 9.886 contaminados, o “dilema” foi abordado ontem pelo presidente Marcelo Rebelo de Sousa, um dos políticos mais populares do país. “A vida e a saúde exigem que a economia não pare. Mas sem vida e sem saúde o combate econômico não pode ser travado com sucesso”.

O presidente agradeceu a todos os portugueses que mantêm o país funcionando, dos médicos aos camionistas, passando por cientistas e agricultores.

Mas, ao anunciar a renovação do estado de emergência, Marcelo mostrou que, nesta fase, sua prioridade é outra: salvar vidas e conter a epidemia. “Não podemos parar”.

VIDA PT: Quais são as diferenças entre o português do Brasil e Portugal?

VIDA PT: Regras para votar, justificar ou transferir seu título para as próximas eleições

os mais lidos4866 times!

COMPARTILHAR