Os 10 maiores obstáculos para brasileiros que mudam para Portugal

Por RALF FURTADO.

Por mais que você se prepare e planeje, muitos dos obstáculos que se enfrenta durante uma mudança de país, são realmente bastante complicados de ser vencidos.

LEIA TAMBÉM: Empreendedor fatura em Portugal vendendo caipirinha engarrafada

LEIA TAMBÉM: Maior feira de franquias do Brasil terá espaço reservado para Portugal

LEIA TAMBÉM: Portugal pode pagar até €6500 a emigrantes ou descendentes que venham trabalhar para Portugal

Mudar para um país pode ser uma experiência fantástica, ou não. (Imagem-OCOS)

O tempo é geralmente o maior amigo do imigrante, pois ele se encarrega de resolver grande parte dos principais problemas que se sofre durante a mudança de país. Seja de uma forma natural, como se aquilo sempre estivesse em sua rotina, ou aos trancos e barrancos. Porque afinal, o que tem que ser feito, será feito, já que a vida tem que continuar…

Baseado na experiência da minha família e na de outras dezenas de famílias de amigos e conhecidos, criamos uma lista com os 10 maiores e mais comuns percalços que normalmente se enfrenta nesse momento complicado, mas cheio de aventuras, surpresas e emoções.

1 – A Língua – Esse é o primeiro grande obstáculo, as diferenças na língua, podem criar alguns obstáculos. Apesar de falarmos a “mesma língua”, muitas palavras e expressões podem ter um sentido completamente diferente, por mais que a escrita ou a pronúncia seja a mesma.

VIDA PT: Quais são as diferenças entre o português do Brasil e Portugal?

Tarefas simples podem virar um problema, o simples ato de atender o telefone é uma tortura para quem está inseguro com as diferenças na língua.

Imagine você, sem conseguir compreender o que seu vizinho está dizendo, o atendente do supermercado, ou da farmácia. A compreensão da nova língua é essencial para que você consiga se ambientar bem a nova cultura. Ouvir rádio e assistir televisão ajudam muito no aprendizado e no aperfeiçoamento de qualquer novo idioma.

Em algumas cidades portuguesas, a presença de brasileiros é muito grande, isso certamente irá amenizar inicialmente o problema de quem não está habituado a língua. Mas esse conforto é apenas momentâneo e infelizmente poderá lhe trazer um grande atraso na sua adaptação, já que toda a família terá o processo de aprendizado natural retardado, prejudicando a inclusão na cultura do seu novo ambiente de convivência.

2 – A Casa – Onde morar? As dúvidas são muitas, qual cidade, qual vila? É melhor morar em um apartamento, qual o melhor tipo de imóvel?

Se você tem filhos, a escolha de onde morar acaba sendo direcionada por qual escola você quer que seus filhos estudem. Já que para estudar em boas escolas públicas você tem que viver na região em que se situa a escola. Se você não tem filhos, seu leque de opções vai aumentar e com isso, aumentam também suas dúvidas na hora da escolha.

O valor dos imóveis, tanto para a compra como para locação, são normalmente mais elevados nos grandes centros. Cidades com Lisboa e Porto, tem o metro quadrado mais caro de Portugal. Pois isso, se puder, fuja desses locais.

No mais, tudo gira em torno do seu poder aquisitivo. As opções mais em conta, normalmente são os apartamentos, logo depois vem as Casas Geminadas e a partir daí as casas tradicionais. Em Portugal o valor do condomínio dos apartamentos, normalmente já está incluso no valor do aluguel.

Devido ao recente boom na imigração para Portugal, a oferta de imóveis no país está bastante reduzida, elevando o valor dos alugueis e gerando muitos empecilhos burocráticos para quem está procurando um bom lugar para viver.

3 – A Escola – Diferentemente do Brasil, em Portugal não existe muita diferença na qualidade do ensino entre as escolas públicas e particulares.

Muitas famílias que mudam para Portugal, acabam matriculando seus filhos em escolas particulares pois trouxeram do Brasil um preconceito justificado contra as instituições públicas, já que é muito raro encontrar uma boa escola gratuita no Brasil.

Lógico que nem todas as instituições públicas são de alto nível por aqui, mas se você tiver a possibilidade de escolher onde morar em função da escola das crianças, terá garantidamente uma escola de bom nível sem ter que pagar nada por isso.

Em contrapartida, quem tem a possibilidade de investir no ensino das crianças, tem a possibilidade de oferecer um excelente nível de ensino, sem ter que se preocupar com a localização da sua residência.

Apenas 13% dos jovens portugueses estuda em escolas particulares, que são católicas em sua maioria, com mais de 50% das unidades disponíveis.

4 – A Saudade – Para isso não existe nenhuma fórmula, estamos falando de uma palavra que não existe em nenhuma outra língua. Nesse caso, ela representa tudo o que foi deixado para trás quando se toma a decisão de mudar de país.

Família, amigos, o bairro, a cidade, o seu time de futebol, sua cultura, suas coisas e até seus bichos de estimação, tudo isso em algum momento vai cobrar o seu preço. Pode até demorar, mas a conta chega…

Por mais que você encha as suas malas ou até um container, tem coisas que você não vai poder trazer na mudança. É possível substituir algumas delas, para outras encontra-se soluções momentâneas, mas tem algumas que você simplesmente tem que aprender a viver sem.

5 – As comparações – Casa nova, terra nova, novos amigos, escola, trabalho, cidade, tudo entra na pauta da comparação, seja para o bem ou para o mal. É claro que como em todo e qualquer caso, tudo depende da situação que a pessoa vivia no Brasil e na que vai viver na terrinha.

Se a mudança era o seu sonho de consumo ou uma necessidade de fuga, é muito fácil encontrar motivos para se apaixonar por Portugal. A infraestrutura de uma forma geral funciona, a qualidade dos serviços públicos é incomparável, principalmente quando confrontados aos do Brasil. Basta olhar para os lados, onde quer que você esteja a sensação de segurança lhe enche de motivos para estar feliz e fazer as comparações que só lhe fazem bem. Isso faz que você exalte cada detalhe das ruas e estradas, dos parques públicos, das escolas… A diferença brutal no valor cobrado nas taxas, como o IPVA, lhe dá uma feliz sensação de saber que tudo o que você agora paga de imposto, está sendo reinvestido no seu bem estar.

Mas o tempo passa e a saudade de pequenas coisas começa a florescer, alguns até se cansam de tanta organização e sentem saudades da bagunça do Brasil. O chopp no boteco com os amigos desconhecidos, caminhar pelas ruas de chinelo, a louca liberdade de errar sem medo da justiça, pois no Brasil ela simplesmente não funciona. Sem falar da família e dos amigos que ficaram pra trás. Tudo é motivo para comparar, mesmo que essa comparação só faça sentido para você.

6 – As Novidades – No dia que você chega na terra nova, tudo é lindo, perfeito, maravilhoso, até que você precisa ir ao mercado. E daí, que marca de papel higiênico comprar, qual o detergente, o sabonete e qual o sabão em pó que rende mais?

As dúvidas vão continuar durante muito tempo, por mais que você tenha família ou amigos que morem ou venham sempre a Portugal, a diferentes opções de produtos e serviços é muito grande. Como escolher o melhor provedor de TV a cabo e de internet? Daí você precisa comprar um carro, mas qual? Em Portugal você se depara com uma nova gama de marcas e modelos. E quando você compra o carro, tem que fazer o seguro do carro, mas qual seguradora?

E na hora de comer fora, não espere achar aquele restaurante a quilo, que no Brasil sempre tem um por perto, com uma enorme variedade de pratos para você escolher exatamente o que quer comer. Muitas vezes, depois rodar por horas, você acaba entrando em um restaurante qualquer, sem saber exatamente qual a sua especialidade, rezando para que no cardápio tenha algo que você goste.

E para complicar ainda mais, algumas marcas famosas e tradicionais que existem no Brasil, também existem em Portugal. Aquelas que no Brasil você sempre usou e confiou, mas por aqui elas não são tão conceituadas como eram lá. E o mesmo acontece ao contrário, marcas relativamente pequenas no Brasil, sem tradição de mercado, em Portugal são líderes de mercado e muito conceituadas. Isso acontece com uma enorme variedade produtos, desde as marcas de produtos de limpeza e higiene, até os fabricantes carros e eletrodomésticos.

7 – As Regras – Dependendo de que cidade e estado no Brasil você está vindo, o choque de civilidade social pode ser maior ou menor. Se você veio do Rio de Janeiro como eu, mudar para Portugal é um coice de cavalo, na forma como você tem de passar a viver a sua vida.

É claro que educação vem de berço e fui muito bem-educado. Mas no Rio, assim como em algumas outras metrópoles do Brasil, temos a sensação que podemos fazer o que der na telha, pois para tudo tem um jeito, principalmente em se tratando de justiça.

Tudo se reflete no exato momento que você põe os pés em um aeroporto em Portugal, imediatamente você sente uma estranha sensação que não consegue explicar, algo novo que te deixa meio incomodado. Você está sendo apresentado a maravilhosa “sensação de segurança”. E tome muito cuidado, isso vicia.

Essa sensação não é um produto que se compre, ela é resultado de uma cultura secular institucionalizada pelas famílias, escolas e a sociedade como um todo. Tem algo bem nítido no ar lhe dizendo que se você fizer algo de errado, você ser vai responder por isso, sem nenhum tipo de conversinha ou com um telefonema pra algum amigo ou parente bem posicionado.

Não é que Portugal possua mais ou melhores leis que o Brasil, a diferença é que aqui, a influência da corrupção sobre a sociedade é muito menor que no Brasil, o que garante a aplicação de tudo o que está previsto nos estatutos que regem os órgãos, que põe essa leis em prática, fazendo que elas sejam sempre aplicadas a todos e da mesma forma.

8 – O Clima – Se você muda para a Portugal, vindo do sul do Brasil, provavelmente não vai sentir tanto as diferenças climáticas. Mas se você vem de outras regiões, o longo período de frio pode te causar muito desconforto.

No início é até bacana colocar um casaco bonito, ficar bem arrumado o dia todo. Mas com o tempo, os dias de sol e calor parecem cada vez mais curtos e o que antes era “friozinho gostoso”, agora só lhe traz tristeza e desolação.

9 – Os Novos Amigos – As novas amizades podem ser um ponto positivo na nova vida.

Quando saímos de nosso país, deixamos pra trás nosso porto seguro, nossa cidade, nosso bairro, onde estamos cercados de pessoas que falam a nossa língua, tem o mesmo sotaque, gostos parecidos e um longo relacionamento que garante que já nos conhecemos bem o suficiente, para saber das suas virtudes e defeitos. O que sempre torna mais fácil resolver os habituais problemas de relacionamento que sempre acontecem.

Porém agora, você está começando uma vida nova e tem que refazer seu grupo de amigos, saiba que recomeçar tudo do zero não é uma tarefa tão simples, principalmente se você tem filhos. Amigos, são aqueles que frequentam a sua casa, pessoas em que você confia. Mas estando em outro país, não espere encontrar pessoas com o mesmo sotaque que você, com gostos parecidos e que torcem pelo mesmo time.

Os imigrantes vêm de diferentes partes do Brasil e do mundo. E as vezes, o fato de seus novos conhecidos também serem imigrantes e eventualmente estarem na mesma situação que você, pode ser um ponto a favor na formação de uma nova amizade.

Mas não existe nenhuma garantia que você vá logo encontrar a sua “família gêmea”. Aquela na qual os maridos, as esposas e as crianças se dão bem, todos entre si. Muitos fatores interferem nesse processo: a idade, a classe social, os gostos comuns, a cultura, o sotaque e nos dias de hoje, a opinião política tem um peso muito forte.

Formar novos grupos de amigos não é uma tarefa simples, mas pode ser bem prazerosa se você tiver a mente aberta, livre de preconceitos e principalmente, de bairrismos.

10 – O Trabalho – O trabalho acaba sempre sendo o terror de todos os imigrantes, já que como base do sustento de todas as famílias, tem uma importância primordial na adaptação a nova vida.

Muitas inclusive mudam para Portugal em função disso, por estarem sendo transferidos por suas empresas ou por estarem em busca de uma melhor oportunidade.

As pessoas que mudam com um emprego garantido, sofrem muito menos os efeitos da mudança e novo local de trabalho tende a fornecer as primeiras amizades. Os únicos fatores que podem atrapalhar o processo de adaptação ao novo local de trabalho, são a aceitação cultural, o preconceito ou alguma diferença técnica ou operacional a qual você não estava preparado.

Atualmente quem chega sem trabalho e tem que correr atrás, sofre um pouco devido a atual escassez de ofertas no mercado de trabalho português. Se a documentação ainda não está regularizada, as oportunidades de trabalho reduzem bastante. Basicamente só os trabalhos braçais aceitam pessoas que não possuem a documentação correta e mesmo assim não são todos. Porém, a forma mais rápida de se conseguir dar partida na documentação e conseguindo um trabalho que lhe forneça um contrato. Para a partir dele, dar-se entrada no processo de residência.

As dificuldades são muitas, mas todos os dias dezenas de brasileiros chegam a Portugal em busca de uma nova oportunidade ou de uma outra realidade. Desempregados, desiludidos, aventureiros, visionários, investidores, artistas ou atletas, seja qual for o seu caminho, a perseverança é sempre o caminho do sucesso.

Conte-nos sua experiência.

VIDA PT: Regras para votar, justificar ou transferir seu título para as próximas eleições


os mais lidos1328 times!

COMPARTILHAR